Plasma e Corona

Novo logo 2018Lider Mundial em Fabricação de Equipamentos para Tratamento Superficial

A Tantec fabrica máquinas e equipamentos para aplicar tratamento superficial em materiais ferrosos e não ferrosos utilizando a tecnologia de CORONA E PLASMA.
As máquinas e equipamentos podem ser fornecidos nas condições OEMs ou diretamente aos usuários finais nos segmentos automotivos, farmacêuticos, indústria eletrônica, cabos, tubos, espumas, placas de espuma, polímeros e indústrias de embalagens.

Molhabilidade completaO Grupo Tantec prima pela inovação ( Estado da Arte) e contínuo desenvolvimento de novos equipamentos para novas aplicações de plasma e corona - Plasma Treatment and Corona Treatment equipments.

O objetivo de aplicar a uma superfície qualquer tratamento superficial através de plasma ou corona é elevar a energia superficial para garantir a ancoragem de tintas, vernizes ou películas aplicadas à superficie que apresentem dificuldades de adesão.

A ausência de aderência de um substrato é avaliada pela medição da molhabilidade, ou seja, quando uma superfície apresenta baixa molhabilidade ou baixa energia superficial a aderência de uma película ou cola é pobre. Enquanto, alta molhabilidade ou alta energia superficial indica alta aderência e sucesso na ancoragem de tintas e vernizes.

Teoricamente podemos interpretar o conceito de molhabilidade da seguinte forma. Conforme imagem das duas superfícies que receberam uma gota cada do mesmo líquido, podemos perceber que a imagem do lado esquerdo apresenta uma gota muito mais próxima de uma esfera com o ângulo da flecha relativamente grande, enquanto a imagem do lado direito vemos uma gota muito mais espalhada e o ângulo da flecha muito menor.
Dizemos, então, que a superfície do lado esquerdo tem baixa molhabilidade enquanto a superfície do lado direito tem alta molhabilidade.
Logo, podemos concluir que quanto maior a energia superficial do substrato em relação a energia da superfície do líquido melhor será a molhabilidade. Da mesma forma, quanto menor a energia 

  

Tratamento de Plasma

O tratamento de Plasma é utilizado para melhorar a aderência e também para limpeza das superfícies. Muitas indústrias podem se beneficiar com a tecnologia de plasma para tratamento superficial como uma solução inovadora para resolver problemas de aderência e molhabilidade.

A preparação de componentes que apresentam baixa energia superficial e consequentemente são pobres em termos de molhabilidade é um passo importante antes dos processos de colagem e aplicação dos mais diversos revestimentos. O tratamento superficial com plasma torna-se uma solução econômica para a limpeza e ativação da superfícies dos componentes a receberem revestimentos adesivos ou protetivos. Dificuldades que venham a surgir na aplicação de tintas, colas, vernizes e revestimentos em geral que apresentem baixa qualidade devido a falta de aderência e molhabilidade resolvemos utilizando plasma.

Comparada a soluções caras e que requerem infraestura complexa, mão obra para operar, alto custo de manutenção, risco impactando nos seguros das empresas, o plasma consiste numa solução simples, econômica, baixo custo operacional e alinhado com as melhores praticas ambientais.
Em termos de aplicação, os maiores problemas encontrados estão relacionados a geometrias complexas ou produtos que não permitem a aplicação da Tecnologia de Corona. Nestes casos o Plasma aparece como opção indiscutível para sanar todos os problemas de ativação da energia superficial. Outra e tão importante característica da tecnologia é a possibilidade de personalizar a aplicação, para isto contamos com mais de 40 anos no mercado fornecendo equipamentos para o mundo.
Materiais como plásticos tendem a perder qualquer tipo de impressão ou revestimento feito em suas superfícies devido à sua textura brilhante, a menos que sejam tratados. Os plásticos são feitos de polipropileno e são homopolares, o que significa que não se ligam tão facilmente.

A aplicação de tratamento com plasma em superfícies plásticas pode resultar num pré-tratamento eficaz da activação da superfície antes de qualquer colagem, impressão ou aplicação de revestimentos. Da mesma forma, materiais como cerâmica e vidro também podem ser tratados com plasma. Normalmente, o oxigênio industrial é usado no tratamento de plasma como um gás de processo, daí o título: plasma de oxigênio. Como também, podemos usar o ar atmosférico, neste caso, denominamos plasma atmosférico. Dependendo do tipo de material a ser tratado com plasma, os efeitos podem permanecer proeminentes por apenas alguns minutos ou mesmo meses.

Temos para as mais diversas aplicações diferentes equipamentos de plasma:

  • • PlasmaTEC-X - Gerador de Plasma Atmosférico
  • • VacuTEC - Câmara de Plasma a Vácuo
  • • VacuLAB - Unidade de Teste de Laboratório e Produção Menor
  • • RotoVAC - Câmara de Vácuo Rotacional
  • • ProfileTEC - Plasma com bicos aplicadores para perfis
  • • SpinTEC - Cabeça Rotativa para Plasma Atmosférico
  • • VacuLINE - Câmara automatica de Plasma a Vácuo
  • • DyneTEC - Medidor de Energia Superficial
  • • VacuTEC-2020 - Plasma a Vácuo

 

Tratamento Corona

A Tantec, da mesma forma que se posiciona como Lider Mundial no fornecimento de equipamentos para aplicação de plasma também é referência na fabricação de equipamentos para aplicação da TECNOLOGIA DE CORONA POIS O PLASMA É UMA CONSEQUÊNCIA NATURAL DO EFEITO CORONA.

Estamos presentes nos maiores grupos mundiais como fornecedores de TRATAMENO SUPERFICIAL com a Tecnologia Corona como alternativa e ou melhor solução para elevação da energia superficial dos mais diversos substratos. Temos um parque grande de soluções em termos de equipamentos.

A aplicação de tecnologia Corona para elevar a energia superficial consiste em aplicar diretamente descargas elétricas na superfície com o objetivo de modificar as propriedades da mesma e garantir que o revestimento aplicado, tinta de impressão e adesivos permaneçam indefinidamente, ou seja, a adesão seja perfeita.

O objetivo do tratamento superficial com CORONA é otimizar as propriedades de adesão dos materiais à base de polímeros pois, normalmente, apresentam baixa energia superficial impactando na qualidade da aderência de tintas, adesivos e revestimentos que, por natureza, apresentam elevadas energias superficiais. A tecnologia CORONA é amplamente utilizada em indústrias de filme plástico, extrusão, automotiva e médica. PARA OBTER ADERÊNCIA DE ALTÍSSIMA QUALIDADE É CRUCIAL QUE A ENERGIA SUPERFICIAL DO SUBSTRATO SEJA IGUAL OU MAIOR QUE A ENERGIA SUPERFICIAL DO REVESTIMENTO APLICADO AO POLÍMERO.

Fornecemos sistemas corona personalizados, para usuários finais e OEMs, consistindo numa grande gama de soluções industriais.

Equipamentos e sistemas de tratamento Corona:

  • • RotoTEC-X - Corona para Tratamento de produtos plásticos tridimensionais
  • • SyrinTEC - Corona para Tratamento de Seringas
  • • PipeTEC - Corona para Tratamento de Grande Tubos
  • • CableTEC - Corona para Tratamento de Cabos
  • • SpotTEC - Corona de alta frequência
  • • FoamTEC - Corona para Tratamentode Espuma e Placa de Espuma
  • • NeedleTEC - Corona para Tratamento do Alojamento e Suporte Plástico da Agulha Corona para cubos de agulhas de plástico
  • • MonTEC - Sistema de Monitoramento de Desempenho da Corona
  • • Gerador HV-X - Fonte de alimentação Corona
  • • LeakTEC - Sistema Corona para Detecção de furos e rachadura em materiais plásticos

 

MOLHABILIDADE 1O Plástico vem substituindo os materiais cerâmicos, vitreos e metálicos.

Vantagens: Os produtos plásticos são leves, resistentes, flexíveis, de baixo custo e duráveis
Desvantagens: Os íons presentes na superfície plástica apresentam baixa capacidade de atração

Sem esta atração molecular os líquidos falham ao molhar a superfície, resultando em pobre adesão e cobertura.

Solução Possível: O tratamento com eletricidade pode ajudar a solucionar esta desvantagem elevando o nível da energia superficial e consequente melhora da molhabilidade e aderência da superfície.

Na prática podemos perceber o resultado do tratamento superficial em uma amostra real. A peça do lado direito superior apresenta baixa molhabilidade, após tratada, podemos verificar na imagem na parte inferior do lado esquerdo a elevação da molhabilidade e consequente melhora na aderência.

 

 Valores de Energia Superficial para diferentes Materiais Sólidos
PTFE <20mN/m
PP <30mN/m
PE <32mN/m
PS <34mN/m
PC <34mN/m
ABS <34mN/m
XLPE <32mN/m
EPDM <30mN/m
PUR <34mN/m
SILICONE <20mN/m

 

Valores de Energia Superficial de Alguns Líquidos para efetivar a Adesão

Tinta UV 48-56mN/m
Tinta à base d´agua 50-56mN/m
Coatings 46-52mN/m
Adesivos UV 44-50mN/m
Adesivos à base d´agua 48-50mN/m

Os valores aqui apresentados estão tabelados com referência para estudo e análise dos processos de tratamento superficial com plasma e corona. Estes valores, normalmente, são medidos com o DynaTec fornecido pela Tantec.  Saiba mais...

 


 Equipamentos para aplicação de Tratamento Superficial com Plasma - PlasmaTEC - X     VacuTEC     ProfileTEC

VACUOTEC COMPLETOPLASMATEC COMPLETO

O novo sistema  de Tratamento Superficial com Plasma Atmosférico PlasmaTEC-X é construído fazendo uso do conceito de descarga elétrica DC em alta voltagem no ar atmosférico.  A simplicidade e versatilidade das novas unidades permitem a perfeita integração à células robóticas, como unidades isoladas ou em grande quantidade em uma linha de produção.

O processo de produção do plasma ocorre dentro dos bicos aplicadores (Nozzles), ou seja, a alta voltagem dentro dos bicos aplicadores ioniza o ar atmosférico e sob certo nível de pressão são expelidos do bico dando origem a uma pequena tocha que visualmente denominamos plasma. Sob alta pressão as partículas chegam à superfície a ser tratada e através de contato mecânico produzem uma micro limpeza e elevação da energia superficial. O atual gerador faz o controle automático da pressão de ar garantindo alta eficiência no processo de aplicação do plasma. Saiba mais...

O plasma também pode ser aplicado no vácuo em escala industrial e laboratorial, nas aplicações com plasma a vácuo existe ainda a possibilidade da inserção de gases para elevar o nível de energia superficial pois, diferentes gases podem produzir diferentes níveis de elevação da energia superficial. A  aplicação do plasma a vácuo se dá dentro de camaras construídas de acordo com a necessidade de produto do cliente. Estas camaras podem está inseridas ao lado da linha de produção do cliente e ou inseridas diretamente na linha, operando sincronizada com a produção do cliente. Saiba mais...

Nas aplicações em borrachas como EPDM, perfis automotivos, a Tantec lançou a solução para linhas de produção com o ProfileTEC que consiste numa máquina equipada com várias cabeças ou bicos de aplicados dispostos em angulos especificos para que toda a área da borracha seja tratada para garantir que haja perfeita aderência ao aplicar a cola. Saiba mais...

 


 Equipamentos para aplicação de Tratamento Superficial com Corona

O tratamento corona é uma técnica para modificar a superfície que usa descargas elétricas para inserir mudanças nas propriedades superficiais do material. O tratamento corona garante alterações importantes na superficie do produto ou objeto que impactarão positivamente na elevação da aderência de tintas, camadas protetivas e colas.

O propósito do tratamento corona é otimizar as propriedades de adesão de materiais com bases poliméricas. A baixa energia superficial dos substratos de base poliméricas frequentemente apresentam baixa energia superficial e pobre aderência de tintas, colas e camadas protetivas os quais naturalmente apresentam alta energia superficial e exigem que os substratos tenham no mínimo o mesmo nível energético para que ocorra perfeita aderência. O tratamento corona é largamente utilizado em filmes plásticos, extrusoras, na indústria automotiva e de fabricação de produtos médicos hospitalares.