Plasma e Corona

Novo logo 2018Lider Mundial na Fabricação de Equipamentos para Tratamento Superficial

Perfecta aderencia

A Tantec fabrica máquinas e equipamentos para aplicar tratamento superficial em materiais ferrosos e não ferrosos utilizando a tecnologia de CORONA E PLASMA.

corona O Processo de Geração de Corona, como mostrado na figura ao lado, é uma solução eficaz quando o objetivo é elevar a energia superficial do produto. Trata-se da aplicação direta na superfície alvo de descargas elétricas em alta voltagem em alta ou baixa frequência. As máquinas para as diversas aplicações do Tratamento Corona podem ser customizadas para atender de forma específica a necessidade do cliente ou do processo produtivo. Os eletrodos aplicadores são parte importante no processo e também alinham-se especificamente à aplicação. O objetivo do tratamento corona é otimizar as propriedades de aderencia  em materiais à base de polímeros. A baixa energia da superfície dos substratos à base de polímeros conduz frequentemente a fraca aderência de tintas, colas e revestimentos que, por natureza, apresentam energias superficiais significativamente elevadas. O tratamento com corona é amplamente utilizado nas indústrias de filme plástico, extrusão, automotiva e médica.          

Saiba mais sobre Corona...

 

PlasmaTECO Processo de Plasma consiste na ionização de gases e ou não pois, podemos tranquilamente trabalhar somente com o ar atmosférico e ionizá-lo. Após ionizado pode ser soprado sob alta pressão na superficie do produto para elevar a energia superficial do mesmo. A caneta aplicadora de plasma, ao lado, cria visualmente a sensação de uma tocha ou chama e isto se dá devido ao jato de ar em alta pressão carregando as particulas ionizadas. O Plasma é a solução indicada quando o produto do cliente requer elevação da energia superficial em áreas específicas do produto.

Saiba mais sobre Plasma...

 

Os equipamentos podem ser fornecidos nas condições OEMs ou diretamente aos usuários finais nos segmentos automotivos, farmacêuticos, indústria eletrônica, cabos, tubos, espumas, placas de espuma, polímeros e indústrias de embalagens.

Molhabilidade completaInovação Tecnólogicas são as palavras chaves no universo Tantec ( Estado da Arte) e contínuo desenvolvimento de novos equipamentos para novas aplicações de plasma e corona - Plasma Treatment and Corona Treatment equipments.

O objetivo de aplicar a uma superfície qualquer tratamento superficial através de plasma ou corona é elevar a energia superficial para garantir a ancoragem de tintas, vernizes ou películas aplicadas à superficie que apresentem dificuldades de adesão.

A ausência de aderência de um substrato é avaliada pela medição da molhabilidade, ou seja, quando uma superfície apresenta baixa molhabilidade ou baixa energia superficial a aderência de uma película ou cola é pobre. Enquanto, alta molhabilidade ou alta energia superficial indica alta aderência e sucesso na ancoragem de tintas e vernizes.

O conceito de molhabilidade pode ser interpretado conforme imagem ao lado, sobre as superfícies foram colocadas gotas do mesmo líquido, a imagem do lado esquerdo mostra uma gota mais próxima de uma esfera com o ângulo da flecha relativamente grande, enquanto a imagem do lado direito mostra uma gota muito mais espalhada e o ângulo da flecha muito menor. Dizemos, então, que a superfície do lado esquerdo tem baixa molhabilidade enquanto a superfície do lado direito tem alta molhabilidade.

Molhabilidade (wettability) é a habilidade de um líquido em manter contato com uma superfície sólida, resultante de interações intermoleculares quando os dois são colocados juntos. O grau de umectação é determinado por um equilíbrio as forças de aderência e coesivas. Logo, podemos concluir que quanto maior a energia superficial do substrato em relação a energia da superfície do líquido melhor será a molhabilidade e quanto menor for a energia da superfície em relação a energia do líquido pior será a molhabilidade. 

  

Tratamento de Plasma

O tratamento de Plasma é utilizado para melhorar a aderência e também para limpeza das superfícies. Muitas indústrias podem se beneficiar com a tecnologia de plasma para tratamento superficial como uma solução inovadora para resolver problemas de aderência e molhabilidade.

A preparação de componentes que apresentam baixa energia superficial e consequentemente são pobres em termos de molhabilidade é um passo importante antes dos processos de colagem e aplicação dos mais diversos revestimentos. O tratamento superficial com plasma torna-se uma solução econômica para a limpeza e ativação da superfícies dos componentes a receberem revestimentos adesivos ou protetivos. Dificuldades que venham a surgir na aplicação de tintas, colas, vernizes e revestimentos em geral que apresentem baixa qualidade devido a falta de aderência e molhabilidade resolvemos utilizando plasma.

Comparada a soluções caras e que requerem infraestura complexa, mão obra para operar, alto custo de manutenção, risco impactando nos seguros das empresas, o plasma consiste numa solução simples, econômica, baixo custo operacional e alinhado com as melhores praticas ambientais.
Em termos de aplicação, os maiores problemas encontrados estão relacionados a geometrias complexas ou produtos que não permitem a aplicação da Tecnologia de Corona. Nestes casos o Plasma aparece como opção indiscutível para sanar todos os problemas de ativação da energia superficial. Outra e tão importante característica da tecnologia é a possibilidade de personalizar a aplicação, para isto contamos com mais de 40 anos no mercado fornecendo equipamentos para o mundo.
Materiais como plásticos tendem a perder qualquer tipo de impressão ou revestimento feito em suas superfícies devido à sua textura brilhante, a menos que sejam tratados. Os plásticos são feitos de polipropileno e são homopolares, o que significa que não se ligam tão facilmente.

A aplicação de tratamento com plasma em superfícies plásticas pode resultar num pré-tratamento eficaz da activação da superfície antes de qualquer colagem, impressão ou aplicação de revestimentos. Da mesma forma, materiais como cerâmica e vidro também podem ser tratados com plasma. Normalmente, o oxigênio industrial é usado no tratamento de plasma como um gás de processo, daí o título: plasma de oxigênio. Como também, podemos usar o ar atmosférico, neste caso, denominamos plasma atmosférico. Dependendo do tipo de material a ser tratado com plasma, os efeitos podem permanecer proeminentes por apenas alguns minutos ou mesmo meses.

 

Reposicao de chama por plasma

CHAMA / FLAME nunca mais!!!

Os processos industriais cuja a utilização da chama era uma realidade, estão sendo substituidos pelo Plasma. Empresas do segmento de fabricação de canetas marca texto, pinceis para escrever em quadros brancos, tubos feitos à base de polímeros e tantos outros produtos que tinham sua superfície ativada com chama, hoje, utilizam o plasma.

A chama além de distorcer, aquecer ao extremo e muitas vezes injetar energia além do necessário está acompanhada do alto risco de incêndio calculado pelas seguradoras, encarecendo em demasia o valor do seguro das unidades fabris.

 

Temos para as mais diversas aplicações diferentes equipamentos de plasma:

  • • PlasmaTEC-X - Gerador de Plasma Atmosférico
  • • VacuTEC - Câmara de Plasma a Vácuo
  • • VacuLAB - Unidade de Teste de Laboratório e Produção Menor
  • • RotoVAC - Câmara de Vácuo Rotacional
  • • ProfileTEC - Plasma com bicos aplicadores para perfis
  • • SpinTEC - Cabeça Rotativa para Plasma Atmosférico
  • • VacuLINE - Câmara automatica de Plasma a Vácuo
  • • DyneTEC - Medidor de Energia Superficial
  • • VacuTEC-2020 - Plasma a Vácuo

 

Tratamento Corona

A Tantec, da mesma forma que se posiciona como Lider Mundial no fornecimento de equipamentos para aplicação de plasma também é referência na fabricação de equipamentos para aplicação da TECNOLOGIA DE CORONA POIS O PLASMA É UMA CONSEQUÊNCIA NATURAL DO EFEITO CORONA.

Estamos presentes nos maiores grupos mundiais como fornecedores de TRATAMENO SUPERFICIAL com a Tecnologia Corona como alternativa e ou melhor solução para elevação da energia superficial dos mais diversos substratos. Temos um parque grande de soluções em termos de equipamentos.

A aplicação de tecnologia Corona para elevar a energia superficial consiste em aplicar diretamente descargas elétricas na superfície com o objetivo de modificar as propriedades da mesma e garantir que o revestimento aplicado, tinta de impressão e adesivos permaneçam indefinidamente, ou seja, a adesão seja perfeita.

O objetivo do tratamento superficial com CORONA é otimizar as propriedades de adesão dos materiais à base de polímeros pois, normalmente, apresentam baixa energia superficial impactando na qualidade da aderência de tintas, adesivos e revestimentos que, por natureza, apresentam elevadas energias superficiais. A tecnologia CORONA é amplamente utilizada em indústrias de filme plástico, extrusão, automotiva e médica. PARA OBTER ADERÊNCIA DE ALTÍSSIMA QUALIDADE É CRUCIAL QUE A ENERGIA SUPERFICIAL DO SUBSTRATO SEJA IGUAL OU MAIOR QUE A ENERGIA SUPERFICIAL DO REVESTIMENTO APLICADO AO POLÍMERO.

Fornecemos sistemas corona personalizados, para usuários finais e OEMs, consistindo numa grande gama de soluções industriais.

Equipamentos e sistemas de tratamento Corona:

  • • RotoTEC-X - Corona para Tratamento de produtos plásticos tridimensionais
  • • SyrinTEC - Corona para Tratamento de Seringas
  • • PipeTEC - Corona para Tratamento de Grande Tubos
  • • CableTEC - Corona para Tratamento de Cabos
  • • SpotTEC - Corona de alta frequência
  • • FoamTEC - Corona para Tratamentode Espuma e Placa de Espuma
  • • NeedleTEC - Corona para Tratamento do Alojamento e Suporte Plástico da Agulha Corona para cubos de agulhas de plástico
  • • MonTEC - Sistema de Monitoramento de Desempenho da Corona
  • • Gerador HV-X - Fonte de alimentação Corona
  • • LeakTEC - Sistema Corona para Detecção de furos e rachadura em materiais plásticos

 

MOLHABILIDADE 1O Plástico vem substituindo os materiais cerâmicos, vitreos e metálicos.

Vantagens: Os produtos plásticos são leves, resistentes, flexíveis, de baixo custo e duráveis
Desvantagens: Os íons presentes na superfície plástica apresentam baixa capacidade de atração

Sem esta atração molecular os líquidos falham ao molhar a superfície, resultando em pobre adesão e cobertura.

Solução Possível: O tratamento com eletricidade pode ajudar a solucionar esta desvantagem elevando o nível da energia superficial e consequente melhora da molhabilidade e aderência da superfície.

Na prática podemos perceber o resultado do tratamento superficial em uma amostra real. A peça do lado direito superior apresenta baixa molhabilidade, após tratada, podemos verificar na imagem na parte inferior do lado esquerdo a elevação da molhabilidade e consequente melhora na aderência.

 

 Valores de Energia Superficial para diferentes Materiais Sólidos
PTFE <20mN/m
PP <30mN/m
PE <32mN/m
PS <34mN/m
PC <34mN/m
ABS <34mN/m
XLPE <32mN/m
EPDM <30mN/m
PUR <34mN/m
SILICONE <20mN/m

 

Valores de Energia Superficial de Alguns Líquidos para efetivar a Adesão

Tinta UV 48-56mN/m
Tinta à base d´agua 50-56mN/m
Coatings 46-52mN/m
Adesivos UV 44-50mN/m
Adesivos à base d´agua 48-50mN/m

Os valores aqui apresentados estão tabelados com referência para estudo e análise dos processos de tratamento superficial com plasma e corona. Estes valores, normalmente, são medidos com o DynaTec fornecido pela Tantec.  Saiba mais...

 


 Equipamentos para aplicação de Tratamento Superficial com Plasma - PlasmaTEC - X     VacuTEC     ProfileTEC